Os educandos dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental do Colégio Social Madre Clélia, participaram ao longo do mês de agosto de 2018 da Intervenção Pastoral. Nesta oportunidade, eles puderam refletir acerca do comportamento humano na vida em sociedade. Para iluminar esta ação, foi-lhes apresentado o exemplo de vida de São Maximiliano Maria Kolbe, cuja memória é celebrada no dia 14 de agosto. Neste sentido, os adolescentes se defrontaram com São Maximiliano, que soube se colocar no lugar do outro e agir em favor do próximo, e foram questionados sobre suas atitudes pessoais.


O ambiente da intervenção foi cuidadosamente preparado com a ajuda do professor Sérgio Antoczecen, docente de história, que disponibilizou uma série de objetos referentes ao período histórico do santo, isto é, a Segunda Guerra Mundial. Neste espaço, os educados puderam, em um primeiro momento, tomar consciência das atrocidades cometidas nos campos de concentração criados nos territórios nazistas. Em um segundo momento, os adolescentes puderam perceber que, mesmo em um ambiente hostil como um campo de concentração, o ser humano é capaz de gestos nobres. Exemplo disso é a entrega de São Maximiliano Maria Kolbe que, prisioneiro no Campo de Concentração de Auschwitz, entregou sua vida a fim de que um outro prisioneiro pudesse continuar vivendo. Em um terceiro momento, os educandos foram motivados a refletir individualmente sobre a conduta pessoal de cada um, tentando identificar situações em que poderiam agir com mais humanidade, isto é, colocando-se no lugar do outro.


Por tudo isso, pode-se dizer que a intervenção foi um momento rico de aprendizado e crescimento humano. Aprendizado porque foi possível conhecer o contexto histórico e social da Segunda Guerra Mundial e a vida de São Maximiliano Maria Kolbe. Crescimento humano porque os educandos tiveram a oportunidade de tomar consciência de que, apesar da condição privilegiada em que se encontram, nem sempre conseguem se colocar no lugar do próximo (pai, mãe, irmãos, amigos, colegas ou os mais sofridos da sociedade) e tratá-lo com a dignidade de um ser humano. Isso pode ser verificado no relato da educanda Isabela, do 6º ano 2: “Eu achei incrível, super legal. Foi muito interessante aprender sobre São Maximiliano, vítima da guerra. Achei legal como o Tiago responder cada pergunta. Espero que isso ocorra novamente”.


Assim sendo, frisou-se que é preciso aprender a abordar o outro conferindo-lhe a dignidade de um ser humano que lhe é própria para que, então, cada um possa merecer o título de ser humano.

 


Galerias

Intervenção Pastoral de agosto reflete sobre a humanidade dos seres humanos - 2018

Ver galeria

46671466704666946668466674666646665